Aguarde

Sejam bem-vindos e Sorriam

Coluna Meus Dentinhos em 31/03/2015 00:28:40

Não sei ao certo porque escolhi ser dentista, mas sempre soube que queria trabalhar com crianças. Acho que, independente da profissão que eu viesse a escolher, meu público alvo seriam elas. Voltando à odontologia: não lembro de ter vivido experiências marcantes nas visitas ao dentista durante a infância. Se as experiências não foram ótimas, também não foram negativas. Acho que escolhi ser dentista mesmo na adolescência, quando coloquei aparelho ortodôntico e as idas ao consultório eram mensais.  O ambiente, a infinidade de instrumentos, a delicadeza com as mãos, as mudanças no sorriso foram me conquistando ao longo do tratamento. 

Passei no vestibular no ano de 1997 e me formei em 2001, com a certeza de que faria a especialização na área de Odontopediatria. E assim fiz, terminando a especialização em 2004. Trabalhei na área desde então, buscando sempre me atualizar com cursos, congressos e palestras. Mas acho que virei especialista mesmo, de verdade, quando me tornei mãe pela primeira vez. O meu primeiro filho chegou em setembro de 2010 e foi ele quem me ensinou um pouco mais sobre o "ser criança", com todas as suas particularidades. Depois dele, vi que a teoria e a prática nem sempre andam de mãos dadas e que como mães sempre tentamos fazer o nosso melhor.  Claro que esta experiência transformadora na vida pessoal teve repercussões na minha vida profissional. Hoje, compreendo mais o comportamento infantil em suas diferentes fases, as dúvidas das mães e dos pais que vão ao consultório.  Além do que ganhei um consultor pessoal que me ajuda a escolher os brinquedos, os filmes, os brindes que devo levar para o consultório e para os pacientes. 

Como um é pouco e dois é bom, em julho de 2013 nasceu meu segundo menininho. E mais uma vez a vida pessoal contribuiu para a  profissional, mostrando que cada criança é única, diferente da outra. Muitos dos comentários e dificuldades dos pais me fazem lembrar também da rotina da minha casa, e no fim as consultas acabam sendo uma troca de experiências em que todos aprendem; eles, sobre saúde bucal e eu, sobre o universo materno-infantil. 

Hoje no consultório tento fazer com que as lembranças das consultas odontológicas durante a infância sejam as melhores possíveis. Para isso planejei o consultório com muito carinho. Um ambiente lúdico, onde as crianças se sintam a vontade e se  identifiquem.  As visitas cada vez mais precoces, faz com que o foco principal seja a prevenção de doenças bucais ou alterações de mordida, com ensinamentos sobre dieta,  escovação e hábitos. Quando é necessário algum tratamento mais invasivo,  busco  usar técnicas que facilitem o tratamento, como a sedação consciente, realizada com a combinação do óxido nitroso e oxigênio. 

Assim, no final, ganho beijos e abraços carinhosos que fazem os meus dias mais felizes e aumentam a certeza do caminho escolhido. 


Fernanda Bello C. De Souza

Especialista em Odontopediatria

CRO-PR: 13841.

Dúvidas e Comentários

» Deixe aqui sua pergunta, sugestão de tema ou comentário sobre o post.

Você precisa estar logado para poder comentar.

Fazer login
  • Nenhum comentário encontrado.